Viajar pode facilmente tornar-se uma verdadeira obsessão. Os benefícios pessoais que se retiram de uma boa experiência turística – especialmente quando se vai além da compra de um simples pacote de férias, pré-programado e sem espaço para o inesperado – levam os viajantes a começar a planear a próxima viagem logo que chegam a casa. Alguns chegam a experimentar o Cassino Epoca esperando ganhar algum dinheiro extra para gastar da próxima viagem. Veja algumas razões pelas quais se poderá apaixonar pelas viagens.

Crescimento pessoal

Uma viagem retira-o da sua zona de conforto e obriga-o a lidar com realidades culturais diferentes (idiomas, usos e costumes, etc.), a interpretar informação num ambiente estranho, a lidar com situações inesperadas que não acontecem no dia-a-dia. Viajar é uma forma de granjear maior auto-conhecimento e auto-confiança. Além disso, é uma forma de pôr à prova, no mundo real e em situações práticas, os conhecimentos que se aprenderam na escola – línguas, ciência, história, etc.

Relembre o ritmo mais lento da vida

O ritmo de vida contemporâneo é extraordinariamente rápido. As exigências do trabalho mudam a cada dia, a informação está à distância de um clique e chega ao smartphone que está no bolso, as pessoas são bombardeadas continuamente com novas mensagens publicitárias. Durante uma viagem, aproveite para abrandar. Aguarde serenamente pela chegada do transporte público e leve um livro para ler enquanto espera. Há quanto tempo não lê um livro? Mantenha o smartphone desligado da internet de modo a interagir com as pessoas à sua volta e reparar nos pequenos e grandes pormenores do país ou cidade que está a visitar.

Crie memórias

As suas vCreate memoriesiagens tornar-se-ão momentos altos nas suas memórias a longo prazo, com histórias incríveis de situações completamente fora do quotidiano, que servirão para contar aos filhos e aos netos. Repare que viajar é bom, não só para quem viaja sozinho – e portanto livre de responsabilidades e deveres – mas também para as famílias; são ótimas ocasiões para reforçar os laços e a vida em conjunto, longe das preocupações de todos os dias, criando uma memória afetiva comum.